10/07/2012

Resenha - O Rei do Inverno


Nome: O Rei do Inverno
No Original: The Winter King
Autor (a): Bernard Cornwell
Páginas: 546
Editora: Record
Comprar: Submarino - Siciliano - Saraiva - Cultura
Sinopse: O Rei do Inverno é o primeiro volume da trilogia As crônicas de Artur sobre o lendário guerreiro Artur, que passou para a história com o título de rei, embora nunca tenha usado uma coroa. Um dos mais importantes autores britânicos da atualidade, Cornwell já foi traduzido para mais de dezesseis línguas e seus romances alcançaram rapidamente o topo das listas de mais vendidos: foram mais de 4 milhões de exemplares em todo mundo. O Rei do Inverno conta a mais fiel história de Artur, sem os exageros míticos de outras publicações. A partir de fatos, este romance genial retrata o maior de todos os heróis como um poderoso guerreiro britânico, que luta contra os saxões para manter unida a Britânia, no século V, após a saída dos romanos. "O livro traz religião, política, traição, tudo o que mais me interessa," explica Cornwell, que usa a voz ficcional do soldado raso Derfel para ilustrar a vida de Artur. O valoroso soldado cresce dentro do exército do rei e dentro da narrativa de Corwell até se tornar o melhor amigo e conselheiro de Artur na paz e na guerra.

Todo mundo aqui deve saber que sou doida com história e muitas vezes me arrependo de não ter seguido esse caminho e por isso mesmo fiquei feliz quando os leitores escolheram "O Rei do Inverno" na segunda edição da você decide. Acho que todo mundo conhece por alto a história de Artur, todas as lendas e mitos, mas ao certo, se ele existiu ninguém consegue provar e os historiadores tratam com reserva o assunto. Mas o que importa aqui, e é esse o motivo da trilogia de Bernard Cornwell ter feito tanto sucesso, é o fato de ele ser o primeiro escritor a trazer Artur para o contexto histórico da Inglaterra do séc. VI.

Utilizando-se dos famosos personagens das lendas Bernard Cornwell recria uma das histórias mais famosos do ocidente e acrescentando pequenos elementos deixa a história de Artur mais crível, mas próxima do que pode ter sido a realidade. Segundo o autor era comum pessoas com nome Artur naquela época, o que pode sugerir que existiu um famoso guerreiro com esse nome. Mas vamos ao enredo da versão de Cornwell para o famoso Artur.

A história começa com o nascimento de Mordred, filho de Norwenna, nora de Uther rei da Dumnonia. O pai da criança morreu em um ataque surpresa e Uther culpa Artur, aqui retratado como filho bastardo de Uther. Todo mundo sabe que não foi culpa de Artur e que Mordred nunca foi um guerreiro brilhante. Artur está em Benoic, em campanha para defender o reino do marido de sua irmã. A criança que nasceu com o pé esquerdo torto, o que é um mau presságio, é o futuro da Dumnonia. Todo mundo sabe que o rei Uther não está bem de saúde, mas para assegurar o seu poder e evitar que o reino seja tomado a força Uther convoca um conselho para decidir quem casará com Norwenna, assegurando a segurança e o trono da criança. Para quem não sabe a Grã-Bretanha do século VI era dividida em vários pequenos reinados, que viviam guerreando entre si, além de lutar contra as invasões saxônicas. Nesse conselho fica decidido que Norwenna se casará com Gundleus, rei da Silúria. Pouco tempo após o casamento todos são surpreendidos por Gundleus, que tenta tomar Dumnonia a força e então surge Artur e seus guerreiros.

É nesse contexto que a história se desenvolve. Não posso dar mais detalhes porque a resenha ficaria imensa e eu tiraria metade da leitura de vocês. Isso deve ao fato da narração de Cornwell ser riquíssima em detalhes. A trama é complexa demais para eu poder fornecer com precisão um esboço do livro, mas posso dizer que o Artur de Cornwell é diferente de tudo o que já ouvi e vi sobre ele. O autor se esforça para afastar a fantasia e deixa claro em vários pontos que Artur era um homem, como outro qualquer. Não era rei, não fazia mágicas e nada de fantasioso. O que ele era é um excelente guerreiro, inteligente, estrategista, além de carismático, bondoso e honrado. Cornwell deixa clara a mensagem, se Artur realmente existiu, suas lendas foram construídas porque era um homem que merecia ser lembrado por seus feitos e por sua personalidade. Porém, como toda história que o povo conta, ela foi aumentando e ganhando mais detalhes ao longo dos séculos.

Falando nisso entro nos personagens, todos eles muito bem inseridos na trama. Temos Merlin, Morgana, Lancelot, Guinevere, interligados em diferentes níveis da trama. Muitas pessoas podem estranhar a história, ainda mais aquelas que gostam da versão lendária do "Rei Artur". Não posso tomar essa como certa ou não, como amante de história gostei bastante do intricado jogo de invasões, batalhas, traições e política, mas como fã de uma boa fantasia senti falta de mais fantasia. Não sei, é um contexto novo e que merece destaque pela destreza de Cornwell de fundir a história ao personagem. Ainda é cedo para saber minha opinião final, estou curiosa para ler os outros livros e terminar esse quebra-cabeça começado por aqui.

É uma leitura de ritmo cadenciado, que você precisa ler por partes, sem tentar forçar um ritmo forte, do contrário acabará atrapalhado com a história. Artur é um personagem ótimo, adorei cada aparição dele. A edição da Record está impecável, a fonte padrão da editora e muito agradável de ler. A capa é boa perto das internacionais, mas sempre estranhei a relação dela com o livro. Duvido que adaptem mais uma história de Artur, mas se adaptassem seria épico o suficiente para agradar a muitos. Leitura recomendada para quem gosta de história, de guerras e tramas políticas. Um pouco de romance e muitas informações sobre uma época pouco retratada na literatura. Uma nova roupagem para uma história conhecida por todos e acima de tudo uma escrita de qualidade. Leiam e redescubram a história de Artur. Até mais!

As Crônicas de Artur - Bernard Cornwell
1- O Rei do Inverno
2- O Inimigo de Deus
3- Excalibur

19 comentários:

  1. Eu votei nesse livro, é um dos que quero ler e queria saber sua opinião.
    Gosto da versão lendária do "Rei Arthur" e fiquei imaginando se vou gostar dessa versão, mas é um livro que vou ler para descobrir!

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha. Como eu gosto bastante das lendas do Rei Arthur (e também prefiro escrever com 'H', esse Artur me dá nos nervos) e acho que seria interessante experimentar algo assim. Gostei muito, parece algo grandiosíssimo.

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha! De Rei Artur conheço o filme e só. Claro que já ouvi a lenda, e teve trabalho de escola e tudo, mas uma história atual nunca. Nunca me interessei pelo kit no Submarino porque achei que era masculino demais e cheio de guerras e só, mas você me deu uma boa perspectiva. Ótima resenha, beijo!

    ResponderExcluir
  4. Não faz muito meu estilo apesar de ter visto o filme e gostado bem. Muito boa sua resenha e quem sabe se eu gostar das outras duas resenhas da trilogia compro o box no Submarino. Nunca li nada do autor, mas ouço falar bem dele e gosto da Inglaterra. Vai ser interessante ver um século tão passado assim. Abraços

    ResponderExcluir
  5. Estava curiosa para ler a resenha, e gostei do que li, gostei mesmo. Amo de paixão narração rica em detalhe e com isso o sinal verde se acende para o livro, gostei das recomendações da leitura. Quando puder vou garantir o meu, pode ter certeza.

    ResponderExcluir
  6. Tenho uma relação de amor e odio com rei Artur, tem epoca que gosto de ler sobre ele, há outras epocas que não. Não estou muito para esse tipo de leitura no momento, mas se tiver oportunidade em outro momento quero ler. A historia parece ser bem interessante. Bjkss

    ResponderExcluir
  7. Ainda bem que esse livro ganhou,para ter resenha.
    Queria muito ler sua resenha,agora que muito ler o livro.
    Deve ser demais, já esta na lista dos desejados.

    ResponderExcluir
  8. Ainda bem que esse livro ganhou,para ter resenha.
    Queria muito ler sua resenha,agora que muito ler o livro.
    Deve ser demais, já esta na lista dos desejados.

    ResponderExcluir
  9. Li a resenha mas ainda não me decidi, rs. Não faz muito bem o estilo que gosto de ler, mas tô numa faze mas pra romances e essa semana não foi uma semana boa pra mim, então acho que de repente eu volte com mais calma depois e o interesse aumente.

    ResponderExcluir
  10. A capa é bem interessante, mas não imaginava que a história fosse sobre o Rei Arthur... Gostei da resenha, mas ainda não sei se leria, ainda mais por ser uma trilogia. Já li um livro sobre a lenda dos Cavaleiros da Távola Redonda há um bom tempo e também já vi vários filmes sobre o tema, então não me despertou um grande interesse, e não sei se iria gostar dessa versão mais histórica.

    ResponderExcluir
  11. caramba fiquei meio pasma com sua resenha e a sinopse do livro,não o conhecia.
    parabéns pelo seu blog super bem cuidado.beijos!

    http://livrosobaluzdalua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ainda não li nada do Bernard Cowell, mas ele faz totalmente o gênero que gosto, acho que as narrativas dele devem ser lidas com calma e serem bem apreciadas.. por isso ainda não li.. sempre falta tempo..

    Abraços
    Gabriela

    ResponderExcluir
  13. Eu não sei praticamente nada sobre o Rei Artur, eu acho que sei que ele libertou alguma terra dos bárbaros, e nem sei se essa informação está correta. A capa é bem legal, mas não sei se a leitura me agradaria.
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Beleza, acabei de conhecer o livro e a resenha me estimulou a querer ler... com certeza é uma das coisas que farei em breve.

    ResponderExcluir
  15. Me amarro nas histórias do Arthur!! Já li várias versões, será que gostarei dessa tb? Eu sou bem fã do aspecto místicos das outras histórias, o que me faz crer que terei alguns problemas com essa, mas mesmo assim quero ler, pq soou bem interessante. Vai para a lista de desejados!

    ResponderExcluir
  16. Legal a trama ser uma estória mais realista do Arthur, dele ser bastardo e envolver todo o complexo do personagem. O fato de ser uma trilogia me agradou mais, assim nos aprofundamos. Geralmente, o que sabemos do Arthur é que ele retirou a espada que estava cravada na pedra.

    ResponderExcluir
  17. A capa desse livro é realmente linda. Adoro histórias de assim e acho que irei me apaixonar por essa. Um universo tão bem criado, com tantas características, é meio impossível não querer devorar cada página.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  18. Adorei a capa desse livro. Nossa, é linda. Gosto de livros em tempos passados, gosto de ver o ambiente em que a trama se passou. Acho que vou adorar esse livro.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  19. Adoro as histórias sobre Rei Arthur, como também gosto de toda literatura que envolva a Idade Média e os cavaleiros andantes. Gostei muito da sua resenha.

    ResponderExcluir

Respeito é bom e eu gosto.
Não use palavras grosseiras, seja educado.
O blog é um lugar amigável, aja de acordo.