18/05/2012

Resenha - Hamlet, Rei Lear, Macbeth


Nome: Hamlet, Rei Lear, Macbeth
No Original: Hamlet, King Lear, Macbeth
Autor (a): William Shakespeare
Páginas: 596
Editora: Abril Coleções
Comprar: Submarino - Siciliano - Saraiva - Cultura
Sinopse: Hamlet, o rei, morre repentinamente. Seu irmão, Claudio, assume o trono e casa-se com a viúva, Gertrudes. Seu filho, que também se chama Hamlet, nem desconfia da verdade até que tem um encontro com o fantasma do finado pai, que lhe revela que foi assassinado com veneno que Claudio introduzira em seu ouvido. Assim, o fantasma faz que Hamlet jure vingança. Desesperado para cumprir sua promessa, o jovem príncipe da Dinamarca concebe um plano: passar por louco para preparar um cenário que possa levá-lo a matar Claudio. Os reis, preocupados, acreditaram que o príncipe está louco de amor e fazem que antigos amigos de Hamlet tentem arrancar dele a verdade. Convencido de que o príncipe sabe mais do que aparenta, Claudio logo tenta se livrar do incômodo. começa uma corrida entre os rivais para ver quem consegue se livrar do seu adversário. Ao chegar à velhice, Rei Lear da Bretanha, se vê obrigado a dividir seu reino. A maior desgraça para um monarca atingira-o: para protegê-lo e garantir sua sucessão, nenhum filho varão, apenas três filhas mulheres, Goneril, Regana e Cordélia. As duas primeiras são casadas, respectivamente, com o Duque da Albânia e com o Duque da Cornualha, olhos cobiçosos por sobre as terras bretãs, enquanto que Cordélia recusa-se a casar, para permanecer ao lado do pai. Mas o assédio de estranhos pelo reino não é o mal maior do qual padece o rei. A progressiva dificuldade de discernir as atitudes e os discursos daqueles que o cercam, o embotamente da percepção da sinceridade e da falsidade humana e a suspeita errônea de onde viria a traição são os males fatais para o outrora grande monarca. Macbeth é um general do exército escocês muito apre­ciado pelo seu monarca, o rei Duncan, por sua lealdade e seus préstimos guerreiros. Um dia, ele e Banquo, outro general, são abordados por três bruxas, que fazem os seguintes vaticínios: Macbeth será rei; Banquo é menos importante, mas mais pode­roso que Macbeth; e os filhos de Banquo serão reis. Macbeth não compreende as confusas palavras das aparições, mas elas calam fundo dentro de si. Ele relata o estranho encontro para a mulher, Lady Macbeth, que, ambiciosa, exerce seu poder sobre o marido, levando-o a cometer o gesto fatal de traição ao rei que desencadeará a tragédia dos dois e uma reviravolta na corte.

Primeira resenha do "Desafio de Clássicos" e uma resenha um pouco diferente. Vou falar por partes de três das quatro grandes tragédias escritas por Shakespeare. O primeiro tópico do desafio é "qualquer clássico do século XVII ou anterior" e todas as três peças desse livro foram escritas, segundo historiadores entre 1601 (Hamlet), 1605 (Rei Lear) e 1606 (Macbeth), ou seja, encaixa no desafio. Faz tempo desde que li Shakespeare e na época eu tinha 10 anos. A minha capacidade de compreender a grandeza dos livros que li era limitada, apesar de saber que Shakespeare era um grande escritor não passou disso eu acredito. 575 páginas depois e estou encantada com as peças. Afinal porque demorei tanto tempo para ler Shakespeare?

Hamlet acaba de perder o pai, o rei da Dinamarca, anda frustrado e enlutado pelo castelo. Não compreende e não aceita o casamento precoce da mãe com seu tio Cláudio. Que nem esperou o cadáver do irmão esfriar na cova para tomar-lhe a esposa e usurpar seu trono. Hamlet não perdoa a mãe por tal desvario. Até que em uma noite encontra o fantasma, espectro de seu pai. O rei conta a Hamlet o que lhe tirou a vida. Em um ato covarde o irmão envenenou o rei e por isso morreu com todos os pecados na alma. O rei agora está condenado a vagar pelas noites até que sua morte seja vingada. O espectro incumbe Hamlet de vingá-lo. Atordoado, mas não surpreso com a revelação Hamlet arquiteta um plano. A partir daí a trama repleta de intrigas, traições e metáforas se desenvolve. Hamlet direciona toda sua paixão e energia na vingança da morte do pai e em meio de seu sarcasmo e loucura fingida temos muita reflexão. Em cada fala uma intenção e significado. Algumas pessoas acham Hamlet confuso, mas a intenção era essa. A tristeza pela morte do pai, a traição da mãe e do tio, a vingança que cega o personagem para o resto das coisas. É uma pena que nunca tenha assistido Hamlet no teatro, mas deve ser muito, muito bom.

Rei Lear está velho e sem herdeiros homens, em um último ato para não perder seu reino ele resolve dividir sua herança entre as três filhas: Regan, Goneril e Cordélia. Regan e Goneril são toda graça e bajulação para com o pai e com frases melosas conseguem sua parte na herança. Cordélia se declara de forma sincera e direta, o que Lear entende como traição e pouco caso deixando Cordélia sem nada. Enquanto Regan casa-se com o duque de Cornwall e Goneril com o duque de Albany, dividindo o reino em dois, Cordélia é enviada para França, onde se torna rainha mesmo sem a herança do pai. Desconfiado de todos e cego para a verdade Lear fica sem lugar quando as duas filhas se recusa a receber o pai e seus cem cavaleiros. Na outra parte da trama temos Conde Gloucester e seus dois filhos, Edgar e o bastardo Edmund. Gloucester cego pelas palavras de Edmund acredita que seu filho legítimo é um traidor. Edgar por sua vez confia na palavra do irmão e foge, assinando assim sua sentença. É nessas duas vertentes que a trama se desenvolve. Um conflito familiar de primeira e com diálogos riquíssimos. As passagens entre Lear, Kent disfarçado e o bobo são excelentes. Considero Rei Lear mais fácil de compreender do que Hamlet. O modo como Shakespeare retratou o envelhecimento e os conflitos que isso trouxe para a família foi como sempre perfeito. As transformações e as perdas que essa situação gerou também devem ser citadas. No jogo da falsidade e da ambição todos eles perderam.

Macbeth era general do exército do rei Duncan e sempre foi tido como um cavaleiro honrado até o dia que em acompanhado de Banquo é abordado por três bruxas que lhe fazem uma profecia perturbadora. Uma profecia que desperta a ambição de Macbeth. As bruxas disseram que ele seria rei e que os filhos de Banquo seriam reis. Macbeth não consegue parar de pensar nas palavras das bruxas e ao dividir a estranha profecia com a esposa ele vê seus desejos instigados pela ambiciosa Lady Macbeth. Os dois planejam assassinar o rei Duncan e assim ascender ao trono. Coroado rei Macbeth se vê atormentado pelo seu ato e pelo restante da profecia. Precisa se livrar de Banquo e de seu filho. O Filho de Banquo escapa e Macbeth fica cada vez mais atormentado, chegando a ver o espectro de Banquo sentado em seu lugar a mesa. O segundo encontro com as bruxas foi ótimo e as visões foram ótimas. Achei a trama ótima. Os perigos de uma ambição cega e desmedida. Atos impensados e mal executados que custaram caro a Macbeth. Um homem por um lado feliz pela posição conquistada e por outro atormentado de culpa e medo. O que me intrigou foi o prefácio da edição que li. Muitas pessoas não gostam do final de Macbeth e isso pode ter uma razão. Segundo a edição o final não foi escrito por Shakespeare. Apesar disso gostei do fim ou seria melhor da condução até o final. A cena que encerra a peça poderia ser melhor.

Os prefácios das três obras são interessantes e contém várias curiosidades sobre as peças e suas histórias. Shakespeare na maioria das vezes adaptava e transformava histórias reais em peças magníficas. A edição é de capa dura e faz parte da coleção de clássicos da Abril de 2010. Uma pena que não consegui comprar a coleção inteira. Achei a edição muito boa e a tradução também. Três obras muito recomendadas e imperdíveis para quem quer conhecer o autor que fez história no teatro da era elisabetana. Não deixem de ler. Espero que gostem dessa resenha tripla e estranha. É bem complicado escrever sobre clássicos. Até mais!

23 comentários:

  1. Sempre tive vontade de ler Shakespeare, mas algo me impede, a falta de coragem também. Dentre as três da resenha me interessei por Hamlet. Espero um dia ter coragem de pegar Shakespeare para ler, tenho certeza de que não vou me arrepender.

    ResponderExcluir
  2. Interessante esse livro... três contos de Shakespeare em um só livro...

    Bem, também nunca li nada dele, mas parece ser muito bom. Ainda falta um pouco de coragem para me aventurar num mundo Shakespeariano.

    ResponderExcluir
  3. Sem palavras para Shakespeare. Todas as histórias que eu li eu gostei. A minha favorita é "Sonho de uma noite de verão" rs

    Beijos,
    Caroline, do http//criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro!
    Sempre ouço falar de Shakespeare, mais eu tenho medo de pegar algum livro dele e não conseguir ler, por conta da dificuldade!
    Me interessei bastante por Rei Lear, parece ser uma história bem legal..
    Adoro esse Desafio de Clássicos, e agora eu estou super curioso para ler esse livro!

    http://libraryinhouse.blogspot.com.br/

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Nunca li nada do autor , esse livro seria um ótimo começo.
    Gostei muito da sua resenha, está perfeita como sempre.
    Abraços, até mais !

    ResponderExcluir
  6. Esse foi um dos melhores livros que li ano passado. Eu tinha desde 2010, mas fiquei enrolando pra ler por causa do tamanho. Acabei devorando em 3 dias. Hamlet mexeu comigo aos extremos e é meu preferido do livro todo. Olha, sua resenha até me deu vontade de reler e sentir de novo todas aquelas emoções que só Shakespeare pode fazer nascer.

    ResponderExcluir
  7. nunca li William Shakespeare mais seus livros são muito bons , pelo oque os outros dizem é muito bom, aindamais livros que se trata do sec xiii ate xviii, as historias são sempre muito boas, otima leitura para quem gosta de intrigas, traições e etc

    ResponderExcluir
  8. Adoro Shakespeare, é incrível a capacidade de escrever sobre o humano... Dos três li Hamlet e Macbeth, são fantásticos! Realmente, né complicado escrever sobre essas obras, mas ler é mt gostoso!

    abraços,
    Luciana

    ResponderExcluir
  9. Assim como você eu li Shakespeare quando criança, praticamente, achando difícil, mas adorando as histórias. De todas, Hamlet é minha favorita! Pretendo relê-la o texto integral. =)

    Abraços!

    www.silentmyworld.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Já li vários de William Shakespeare, adoro Hamlet, quero ver se leio em breve A megera domada.

    ResponderExcluir
  11. Li Sonho de Uma Noite de Verão para a escola com 10 anos e adorei, mas era uma versão infanto-juvenil. Esse ano teve um blog que propôs '6 meses com Shakespeare', um livro pra cada mês, e já li Noite de Reis, Romeu e Julieta e Hamlet, que terminei a pouco tempo (Macbeth e Rei Lear tb estão na lista, e quero muito ler Macbeth). O que eu mais gostei foi Hamlet, a história é muito bem desenvolvida, os diálogos são muito bons mesmo, só o final que achei trágico demais... Romeu e Julieta eu acabei não gostando tanto, pois é escrito de forma poética demais, que não faz muito meu estilo. Noite de Reis eu achei legal, pois é a famosa história da mulher que se fantasia de homem e um triângulo amoroso.
    Eu acho um pouco difícil de ler, pois os textos tem muitas palavras antigas/em desuso, mesmo na tradução. A única coisa que pra mim deixa um pouco a desejar é que talvez pelo livro ser escrito como uma peça mesmo, parece que falta alguma coisa na história, tudo acontece tão rápido... mas com certeza a genialidade dele é inegável, as tramas são muito bem desenvolvidas, tanto que diversas obras foram baseadas em suas peças.
    Uma coisa que fiquei curiosa, é o porque de se retratar a cena do 'ser ou não ser, eis a questão' com Hamlet segurando uma caveira, pois não fala nada no livro. Eu li a versão da L&PM Pocket e não tinha prefácio, não sei se a sua versão falava alguma coisa disso...
    Também tenho muita vontade de ver alguma peça dele encenada!!

    ResponderExcluir
  12. Comecei a ler Hamlet semana passada e estava adorando. Só parei porque chegou um livro que eu estava esperando há muito tempo. Ainda não li Rei Lear e Macbeth, mas quero ler.

    Essa coleção de clássicos é muito linda, só não compro porque já tenho alguns em outras edições.

    Bjos

    ResponderExcluir
  13. De Shakespeare eu só li "Romeu e Julieta" e mesmo assim quando eu tinha 13 anos. Li porque todo mundo falava do amor trágico, mas acho que nem ligava se era clássico. Hoje tenho vergonha de dizer que conheço pouco do autor. Ótima resenha e não, não ficou ruim por ser dividida em três. Destes ai fiquei com vontade de ler Hamlet e Macbeth. Quase assisti Hamlet no teatro, a adaptação mais recente, mas acabei perdendo. Diferente essa sua edição. Ótima resenha! Bjo!

    ResponderExcluir
  14. eu sou completamente fã de Shakespeare, acho que ele faz muita justiça a fama que tem, claro que é uma leitura dificil, até por conta da época e do estilo dele, mas é incrível; adorei as resenhas. Já li os três, Hamlet é um personagem muito profundo e angustiado, eu adoro os dilemas dele; Rei Lear eu lembro pouco da história e em Macbeth o que me ficou marcado foi a covardia de Macbeth, pra mim ele era um cara muito fraco.

    p.s
    estou sentindo muita falta de participar mais do blog, mas vou tentar voltar a frequentar, vida louca; a próposito, eu falei no twitter, mas digo novamente, recebi os livros, Yasmim, muito obrigada, adorei.

    ResponderExcluir
  15. *Momento vergonha: Meu pai tem uma coleção de livros de Shakespeare mas eu nunca li!*
    Acho que tenho que dar uma chance!

    ResponderExcluir
  16. Cássia Oliveira30 de maio de 2012 04:16

    Me sinto incompleta por nunca ter lido Shakespeare... hora de mudar isso, e nada melhor que ler três clássicos de uma vez só! Já vou colocar como desejado no Skoob!

    ResponderExcluir
  17. Legal essa iniciativa dos classicos li Hamlet quando tinha 16 ano. Muito legal.

    ResponderExcluir
  18. Vc escreveu muito bem, Yasmin! É difícil falar sobre clássicos mesmo, ainda mais sobre Shakespeare. Sou fãsona da literatura inglesa, então nem vou comentar sobre as hitórias...hehehe

    ResponderExcluir
  19. Eu já li Macbeth e Sonho de Uma Noite de Verão, de Shakespeare. Confesso que apesar da escrita não ser a mais fácil de ser compreendida, eu gosto. Gostei do livro e como não li as duas primeiras histórias leria com certeza.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  20. Eu ultimamente to tentando ler mais clássicos, alguns ja li, mas as vezes me esqueço. A história de Hamlet é muito bem colocada, pra mim, esta no topo das melhores de Shakespeare.

    ResponderExcluir
  21. Hamlet realmente destruidor! Amo Shakespeare... Muita gente só lembra de Romeu e Julieta. Mas, esse autor nos brinda com obras fantásticas! Medo de Lady Macbeth XD.

    ResponderExcluir
  22. Os clássicos Hamlet e Macbeth eu já li. quanto ao livro Rei Lear, esse ainda não li. No caso de sua resenha, você abordou os três e gostei do resumo que fez. Adoro clássicos e leio sempre que consigo um.
    Existem outras obras de Shakespeare que amo: O Mercador de Veneza, Sonho de uma noite de verão, Otelo, A megera domada, etc...

    ResponderExcluir
  23. Não senti muita vontade de ler esse livro... ):

    ResponderExcluir

Respeito é bom e eu gosto.
Não use palavras grosseiras, seja educado.
O blog é um lugar amigável, aja de acordo.