18/01/2015

Resenha - A Escola do Bem e do Mal


Nome: A Escola do Bem e do Mal
No Original: The School For Good and Evil
Autor (a): Soman Chainani
Tradutor (a): Alice Klesck
Páginas: 352
Editora: Gutenberg
Comprar: Amazon - Travessa - Saraiva - Cultura
Sinopse: No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde estudam para se tornar os heróis e os vilões das histórias. Sophie torce para ser uma das escolhidas e admitida na Escola do Bem. Com seu vestido cor-de-rosa e sapatos de cristal, ela sonha em se tornar uma princesa. Sua melhor amiga, Agatha, porém, não se conforma como uma cidade inteira pode acreditar em tanta baboseira. Ela é o oposto da amiga, que, mesmo assim, é a única que a entende. O destino, no entanto, prega uma peça nas duas, que iniciam uma aventura que dará pistas sobre quem elas realmente são. 

O primeiro livro que li na vida era um conto dos Irmãos Grimm e acredito que desde aquele pequeno livro sobre os músicos de Bremen me apaixonei pelos contos de fadas. É raro ver lançado por aqui livros que reimaginam tais contos, sempre que procuro livros no Goodreads fico encantada com tantas opções e ao mesmo tempo chateada por saber que nem metade delas chegarão ao Brasil, por isso quando a Gutenberg anunciou A Escola do Bem e do Mal de Soman Chainani comemorei muito. O primeiro livro da trilogia traz uma história sombria e encantadora, que vai além de bem e mal, certo e errado, bruxas e princesas. Conheçam esse fabuloso e audacioso universo criado por Soman Chainani e entendam porque ele entrou na lista de melhores estreias de séries e trilogias de 2014 aqui no blog.

Na pequena Gavaldon, à beira de uma floresta sombria, à véspera do décimo primeiro dia do décimo primeiro mês pais e mães faziam de tudo para seus filhos serem comuns e espadas eram afiadas. Todos temiam a visita do diretor da Escola do Bem e do Mal, que há dois séculos fazia sua visita sequestrando um par de crianças. Sophie estava ansiosa para ser sequestrada. Ela era uma princesa e depois de todos os contos que lera estava preparada para viver sua própria história. Procurava fazer boas ações como ser amiga da esquisita da Agatha, a garota que vivia no cemitério e estava sempre de preto e cabelos desgrenhados. Agatha em todo seu mau humor acredita que Sophie enlouqueceu assim como todos da vila. Contudo quando a noite cai e a confusão se instala ela não pensa duas vezes ao ver Sophie toda feliz sendo arrastada em direção a floresta. Mal pode acreditar que o que dizem sobre a Escola é verdade quando chegam ao destino, dois enormes castelos, um que refletia a luz do sol com torres de vidro e outro enegrecido e serreado com pináculos afiados sob nuvens tempestuosas. Não teve tempo de formar uma palavra quando para o seu horror foi solta sob a névoa rosada da Escola do Bem e uma Sophie incrédula mergulhou na escuridão rumo a Escola do Mal. Os dias que se seguem são infernais. Lidando cada uma de um lado com tudo o que detestam, as duas desejam coisas bem diferentes. Agatha quer ir para casa, Sophie trocar para a escola certa, mas mal sabem elas que o conto das duas fora traçado há muito tempo. Pois o bem e o mal nem sempre vêm em embalagens que denunciam o que são de verdade. O diretor da escola esconde mais do que diz e nessa jornada há mais mal do que bem no caminho das duas meninas. Será que a amizade entre elas será forte o suficiente para sobreviver as desventuras que viverão?

É a partir dessa premissa que a história se desenrola e devo dizer antes de qualquer coisa que estou apaixonada pelo mundo criado por Soman Chainani. Para dar vida a trama de Sophie e Agatha o autor apresenta uma ambientação brilhante, que vão desde professoras princesas que já tiveram seus contos de fadas a crianças que não foram bem no desempenho escolar e acabaram transformadas nos bichos que aparecem nos contos de fadas e muitas vezes auxiliam os protagonistas. O autor em meio a tantos elementos sombrios faz uma bela análise do quão errado pode ser o que consideramos ser o bem. O modo como ele construiu a amizade entre Agatha e Sophie também é tocante. O que começa por simples interesse termina como uma amizade forte o suficiente para perdoar e ir além das mágoas.

A narrativa é ágil e cativa o leitor logo no começo, com o ponto de vista alternando entre as duas garotas e outros personagens que são importante em determinados momentos a trama se desenrola de modo inesperado. Estava esperando acontecimentos bem diferente e a cada capítulo a trama se tornava mais intricada assim como a amizade de Agatha com Sophie, e mistérios diretor da escola com suas charadas que levam a missões. Gostei muito da Agatha, mas Sophie teve muitos altos e baixos, mas não defeito do autor e sim de sua personalidade. O modo como ela age com Agatha é cruel em várias ocasiões, mas também houve vislumbres de bondade que mostrou o quanto elas são amigas e o autor joga com a divisão entre o bem e o mal para cativar o leitor, levando-nos a sentir raiva, pena, horror e compaixão por seus personagens. O fim foi surpreendente e emocionante, mas posso esperar pela continuação.

Leitura rápida que cativa e instiga o leitor desde as primeiras páginas. Soman Chainani fez mais do que resgatar os contos de fadas, ele deu uma nova perspectiva e mais complexidade a eles. Soman ainda consegue ir além da trama com um belo cenário, vívidas e bem colocadas descrições tornaram o cenário imersivo desde os contrastantes castelos até a floresta. A edição da Gutenberg está ótima, fonte agradável, capa bem adaptada e as ilustrações a cada começo de capítulo deram um charme a mais ao livro. Torço para que se a história for transformada em filme que o façam bem fiel ao livro Recomendado a todos que gostam de uma boa trilogia juvenil, que traz mistérios sombrios, um belo cenário, contos reimaginados e personagens críveis, que cativarão todos os sentimento no leitor. Leiam e se encantem! Até mais!

Escola do Bem e do Mal - Soman Chainani
1- A Escola do Bem e do Mal
2- A World Without Princes
3- The Last Ever After

6 comentários:

  1. Ultimamente tenho procurado mais livros voltados ao público adulto, mas a premissa desse me cativou. Fiquei interessada na maneira como o escritor parece fugir dos clichês e trabalhar bem os personagens; também tenho procurado por isso nos livros nesses últimos tempos.

    Abraço!
    Sonhos, Imaginação & Fantasia

    ResponderExcluir
  2. Oi, Min!
    Imagino mesmo o tanto de contos de fadas adaptados/reimaginados que não vão chegar ao Brasil, e gosto tanto quanto você, então também fico triste.
    O que mais me me instiga a ler esse livro é o cenário! Já imaginava que seria belo, agora enlouqueci pra ler!!
    Amei a resenha! Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa em conferi essa história, parece ser super emocionante.

    ResponderExcluir
  4. Oii !! Adorei a resenha e essa coleção já esta na minha lista de desejos. Mas gosto de comprar a coleção completa para não sofrer com a espera das continuações (kkkk's).. Gostaria de saber quando será lançado o 3º volume??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabou de ser lançado na Bienal de São Paulo. =)

      Excluir
  5. Oi, Yasmin!
    Eu confesso que no começo achei que a narrativa demorou um pouco para engatar, mas no fim gostei do livro (e da continuação).
    Também gosto de adaptações de contos de fada, e de fato, tem MUITAS dessas em inglês e tem umas MUITO boas, seria fantástico se fossem traduzidas. Num futuro relativamente próximo eu pretendo ir coletando nomes no meu blog, mas vamos ver.
    Parabéns pelo blog e pela resenha!
    Anna

    EscrevendoAsas.com

    ResponderExcluir

Respeito é bom e eu gosto.
Não use palavras grosseiras, seja educado.
O blog é um lugar amigável, aja de acordo.