08/10/2013

Resenha - Sombra e Ossos


Nome: Sombra e Ossos
No Original: Shadow and Bone
Autor (a): Leigh Bardugo
Tradutor (a): Eric Novello
Páginas: 288
Editora: Gutenberg
Comprar: Submarino - Siciliano - Saraiva - Cultura
Sinopse: Alina Starkov nunca esperou muito da vida. Órfã de guerra, ela tem uma única certeza: o apoio de seu melhor amigo, Maly, e sua inconveniente paixão por ele. Cartógrafa de seu regimento militar, em uma das expedições que precisa fazer à Dobra das Sombras – uma faixa anômala de escuridão repleta dos temíveis predadores volcras –, Alina vê Maly ser atacado pelos monstros e ficar brutalmente ferido. Seu instinto a leva a protegê-lo, quando inesperadamente ela vê revelado um poder latente que nunca suspeitou ter. A partir disso, é arrancada de seu mundo conhecido e levada da corte real para ser treinada como um dos Grishas, a elite mágica liderada pelo misterioso Darkling. Com o extraordinário poder de Alina em seu arsenal, ele acredita que poderá finalmente destruir a Dobra das Sombras. Agora, ela terá de dominar e aprimorar seu dom especial e de algum modo adaptar-se à sua nova vida sem Maly. Mas nesse extravagante mundo nada é o que parece. As sombrias ameaças ao reino crescem cada vez mais, assim como a atração de Alina pelo Darkling, e ela acabará descobrindo um segredo que poderá dividir seu coração – e seu mundo – em dois. E isso pode determinar sua ruína ou seu triunfo.

Conheci a trilogia da autora Leigh Bardugo no final do ano passado quando estava à procura de distopias novas e diferentes. Foi por um acaso, mas fiquei bastante curiosa pelas raízes russas da história. Por isso quando soube que a Gutenberg lançaria aqui aguardei ansiosa. Todos sabem que adoro fantasia, mas poucos sabem o tanto que gosto de livros com fortes bases culturais. E a história criada por Bardugo recria e resgata os elementos do folclore russo em uma trama rica e inovadora.

A história começa nos apresentando Alina e Maly, dois órfãos acolhidos por um duque, criados e educados em sua propriedade para no futuro servir a sociedade de Ravka. Os dois passaram pelos testes Grishas quando eram pequenos e cresceram sem problemas. Maly virou um dos melhores rastreadores do Exército do Rei e Alina era aprendiz na unidade de cartógrafos do exército. Eles estavam se dirigindo para a Dobra das Sombras. Uma faixa de escuridão que atravessa Ravka, separando-a de outros reinos e suas próprias terras. Um lugar sombrio conhecido por Não-Mar e povoado por volcras, monstruosidades enormes que atacam violentamente todos que ousam fazer a travessia. Alina estava temerosa, mas sabia que o Exército vivia atravessando a Dobra. Tudo ficaria bem. Teriam Grishas a bordo e o Darkling estava presente no acampamento, com todos os talentos Grishas sobreviveriam. Porém logo no começo da travessia eles são atacados. Um mar de sangue e volcras por todo o lado, um de seus amigos é levado e quando um monstruoso volcra voa em direção a Maly, Alina não pensa e em menos de um segundo estava acordando diante de Grishas incrédulos e todos olhando desconcertados para ela. Colocada diante do Darkling vê revelado um poder que nunca sonhou ter ou sempre reprimiu. Alina é uma Conjuradora do Sol e diante do ataque a Maly reagiu instintivamente liberando toda sua luz natural. Um brilho que cegou a todos e os salvou dos volcras. Alina é um milagre que os Grishas já não acreditavam existir. Capaz de dissipar a escuridão da Dobra. Levada para o palácio dos Grishas ela terá de treinar e sobreviver as mentiras e intrigas. Será ela a solução para a escuridão? E o quanto da verdade o Darkling está contando?

A partir daí a história se desenrola em um ritmo crescente, com uma narrativa fluida e rica em detalhes. Construindo um cenário belo e vívido Leigh Bardugo desenvolve uma trama criativa, que mistura a influência russa não apenas nos detalhes da ambientação, mas no pano de fundo da trilogia. É possível notar pelos detalhes da trama central que Bardugo utilizou referências a alguns contos e personagens do folclore russo. A organização e os elementos da história dos Grisha são fascinante. O modo como a autora apresenta os talentos, os divide em categorias e liga esses dons a ciência e não a magia é além de criativo muito interessante. Outro ponto que merece destaque é a construção dos personagens. Com protagonistas complexos e repletos de segredos a autora alia os mistérios da história aos próprios personagens, os tornando críveis e cativantes.

Entre as divisões dos Grishas estão os Corporalki, os Etherealki e os Materialki. Cada ordem tem um tipo de talento e Alina ter o poder de conjurar a luz do sol, um dom raro que estava desaparecido há séculos. Ela se encaixa na ordem dos Etherealki e à primeira vista é uma garota frágil e descrente de si, mas que a medida que a trama cresce começa a amadurecer e para de lutar contra a própria natureza. Um dos pontos que pode irritar o leitor é o fascínio que ela alimenta pelo Darkling, porém dentro do contexto a história é bastante crível sua reação e a evolução da protagonista é um ponto que torna a história mais crível. A trama deixa nas entrelinhas a dúvida que instiga o leitor até o fim. E os capítulos finais é coroa da história com um desenvolvimento rápido de uma trama que se revela complicada e cheia de meandros.

Leitura rápida e instigante, com elementos muito interessantes que vai deixar o leitor com vontade de conhecer mais a mitologia russa. Bardugo tem uma prosa direta e fluida, que constrói um mundo fascinante e inovador. Ansiosa pela continuação e para saber qual o papel de Maly na história. Se ele está ligado a alguma criatura da mitologia russa e se existe redenção para os que cometeram erros tão grandes. A edição da Gutenberg está ótima, fonte muito boa, diagramação com detalhes bonitos e capa bem adaptada. Os direitos de adaptação para o cinema já foram comprados e estou torcendo para que o filme saia logo. A trama é rica e renderá um filme muito belo e com uma história ótima. Recomendado a todos que procuram uma história diferente. Uma fantasia de fundo inovador, personagens complexos e uma trama central diferenciada. Leiam e se surpreendam! Até mais!

Grisha - Leigh Bardugo
1- Sombra e Ossos
2- Siege and Storm
3- Ruin and Rising

14 comentários:

  1. Que resenha linda, tanto que me deu vontade de sair correndo e comprar o livro. Não conhecia mas já virei fã. Vou procurar para ler.

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ler esse livro! O blog é muito legal, parabéns!
    http://cladoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu também amo livro com fortes bases culturais, acho que por isso sou mega apaixonada pelos da saga Millenium. <3 Vou procurar colocar esse na minha nada extensa listinha de leitura, rs.

    http://livrosecores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Um bom livro e que tenha cultura do local em que retrata é melhor ainda. Esse livro estou esperando ser lançado toda a trilogia para começar a ler.

    ResponderExcluir
  5. Estou curiosa para conhecer esse livro desde que lançou, achei que era distopia e não fazia ideia de que tinha cultura russa no meio, lendo a resenha fiquei muito curiosa com o lance da dobra, e dos dons que são ciência, parece muito interessante e as capas são lindas. Amei a resenha! Bjo!

    ResponderExcluir
  6. Eu estou muito curiosa sobre folclore/mitologia russa desde que li sua resenha de Kate Somente e agora vendo a resenha desse livro fico me perguntando como não notei antes que ele usava essa mitologia de pano de fundo! Adorei tudo o que disse e estou curiosa demais para ler. O mundo parece demais e adoro fantasias com mitologias de países diferentes. Adorei! Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Desde que soube que a Gutenberg lançaria esse livro, fiquei super ansiosa! E quando vi "Sombra e Ossos" em pré-venda, tive que me controlar pra não comprá-lo logo de cara. E, a cada comentário que leio... cada resenha que escrevem em relação a história, fico ainda mais morta de curiosidade! O fato de tratar do folclore russo, é apenas mais um ponto positivo; cultura nunca é demais. E, fantasias... são uma de minhas paixões literárias. Amo, amo, amo. A capa desse livro é linda, e fico contente em saber que a diagramação também está à altura. Apenas não sabia que os direitos de adaptação pro cinema foram já comprados... Que bacana! Agora mesmo é que preciso lê-lo, e logo! Só esperamos que seja uma adaptação aceitável, né. Beijocas.

    ResponderExcluir
  8. Eu até hoje só vi resenhas positivas desse livro...isso quer dizer que eu PRECISO ler né!!!
    hahahaha
    Adorei, obrigada pela dica

    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Quanto tempo não passo aqui! Adorei a resenha, a história parece ótima, e esse negócio de ter cultura russa é mais um motivo para ler, gostei muito do tom da resenha, deixa a gente curiosa para ler. Já na lista de desejados, hehe. Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Eu tinha visto este livro e me interessado por ele no lançamento, mas quando me deparei com o preço =O Melhor esperar um pouco e ver se abaixa KKKKKKKKKK
    Mas são livros assim que eu normalmente curto bastante, e ainda tem a parte cultura Russa, e eu amo quando um livro tem algo histórico nele, é sempre gostoso de se ler, pois se torna mais real e ainda acrescenta conhecimento =D

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Gostei da sinopse e sua resenha só deu mais vontade de ler o livro, não sabia que era ambientado no folclore russo e como não conheço acho que gostarei. Só espero que a editora não demore para lançar o segundo porque eu não gosto de ficar esperando anos por uma continuação.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Amei a resenha! Não fazia ideia de que o livro era tão bom, achei que era distopia também, mas amei saber que é mais fantasia com mitologia russa, acho a cultura fascinante e fiquei bem curiosa, a capa daqui ficou ótima e espero que lance o próximo logo assim posso comprar e ler junto. Adorei o que disse dos personagens e me deixou muito curiosa o que fala da trama. Ótima resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  13. Li a resenha do segundo e adorei, quero muito ler essa trilogia, acho as capas lindas e só pelas resenhas dá para ver como a história é diferente e criativa, achei a edição linda, vi na Cultura e espero ler antes que saia o terceiro. Adorei a resenha! Beijo para ti!

    ResponderExcluir

Respeito é bom e eu gosto.
Não use palavras grosseiras, seja educado.
O blog é um lugar amigável, aja de acordo.