27/07/2012

Resenha - Serena


Nome: Serena
No Original: Sweeth Tooth
Autor (a): Ian McEwan
Páginas: 384
Editora: Companhia das Letras
Comprar: Submarino - Siciliano - Saraiva - Cultura
Sinopse: Ao ser contratada pelo MI5, o Serviço Secreto Britânico, a protagonista Serena se vê como participante de uma mentira cujo objetivo é fomentar a criação de uma ficção. Isso porque ela é incumbida de estabelecer contato com um escritor a quem não pode contar que é uma espiã, nem que o dinheiro que ele passará a receber virá do Estado. Mas o contexto de toda essa armação é uma guerra muito real, num período bastante violento da história da Inglaterra, especialmente por causa da atividade do IRA. E, para Serena, o caso envolve ainda sua vida pessoal, tanto no que se refere a seu antigo amante, que a introduziu no MI5, quanto no que se refere ao escritor que é vítima do ardil, por quem acaba se apaixonando. Ela é, portanto, agente e vítima, personagem e criadora, num romance em que todos esses papéis são questionados com fervor. Ora, ao conhecermos a ficção de Tom Haley, o escritor que não sabe que está na folha de pagamento da Inteligência Britânica, já notamos essa curiosa relação entre o real e o fictício, mediada pelo criador.

Ok. Eu nunca tinha lido um livro do autor apesar de ter ouvido muitos elogios a sua narrativa. Não sei como começar. O livro me causou impressões contraditórias. Serena foi lançado primeiro aqui no Brasil, fato inédito e curioso, que me deixou com mais vontade de ler o livro. Espiões em uma Inglaterra da década de 70, em plena Guerra Fria e com o IRA no auge do poderio. Ian McEwan narra uma história ambiciosa, que mescla tão habilmente elementos da história que em muitas partes fica difícil discernir o que é ficção.

A história de Serena começa com ela contando que é filha de um Bispo anglicano que por insistência da mãe foi cursar Matemática em Cambridge ao invés de Letras. Mas não se saiu tão bem quanto esperava. Era bem diferente de ser a melhor de sua pequena cidade. Serena sempre leu muito, lia páginas em menos de um minuto e foi na faculdade que começou a se interessar por política e pelo cenário mundial. Após participar de alguns artigos numa revista do campus ela conhece Tony Canning. Um ex-agente do MI5 que vê potencial e lhe introduz nesse mundo. Ela passa a estudar para a entrevista e ler coisas mais interessantes. Depois de um rompimento desastroso, Serena segue para Londres sozinha onde passa na entrevista e começa a trabalhar no posto mais baixo. Algum tempo depois ela é chamada para uma missão. Uma tarefa simples se ela não se envolvesse demais com mais de uma pessoa.

A partir daí a trama se desenvolve. É uma trama muito ampla, portanto não dá para explicar melhor. Se você juntar o parágrafo acima com a sinopse já tem um quadro mais amplo do enredo do livro. O que mais impressiona e encanta é o cenário e o contexto histórico. O autor discorre sobre a guerra fria, sobre comunismo, sobre a sociedade e o comportamento da época usando personalidades reais na ficção. Muitos diálogos e passagens são pura reflexão, através do posicionamento de Serena é possível, conhecer e entender o papel do serviço secreto naquela época e muito interessante. Por esse lado a obra é maravilhosa. Fiquei encantada com a maior parte dos comentários. A forma como o autor fala do uso da literatura pelo serviço secreto e pela CIA é bem interessante e real. Gostei dos resumos que Serena fez dos contos de Haley e também dos detalhes gerais sobre literatura.

O meu único problema foi a personagem e sendo parte fundamental de toda a trama isso vem a ser um problema grande, difícil de explicar sem ser ambivalente. Serena é uma personagem diferente, não consegui gostar dela. Ela soa tão estúpida, tão presunçosa, comete erros que qualquer pessoa com o mínimo de autocrítica perceberia que estava fazendo algo equivocado. O modo como ela se comporta com Max e como ela se coloca num pedestal de beleza e importância. Não sei, não funcionou. Tem características que podem até ser de mulheres da década de 70, mas são bem bobas. Tudo isso misturado com uma máscara de inocência e até mesmo ignorância. O final poderia ter redimido a personagem, mas ao contrário disso deixou-a em uma posição mais estranha ainda. Uma personagem dúbia, que ou você vai amar ou odiar.

Um livro de ritmo cadenciado e que deve ser lido sem pressa. Ian McEwan tem uma escrita direta, clara e que usa todos os recursos que a ambientação permite. Não posso dizer que adorei, mas é um bom livro. Foi bom conhecer a Londres da década de 70. Fiquei curiosa para saber mais sobre aquele período em especial. A edição da Companhia das Letras está ótima, fonte muito agradável de ler e a capa felizmente não tem aquela bola vermelha impressa. É apenas um adesivo, felizmente fácil de retirar. Recomendado para os que gostam de um romance mais fino, com um cenário histórico intrínseco a trama. Vale muito a pena pelo papel que a literatura tem na obra. Recomendo também aos que não conhecem o autor e aos que estão em busca de uma leitura diferente, de outro nível. Leiam! Até mais!

20 comentários:

  1. Eu fiquei curiosa com o livro por causa do lançamento primeiro aqui também, mas não sou muito chegada em romances com nome de mulheres, ou personagens mesmo sabe. Ótima resenha, deixou claro para mim que o livro vale a pena pela parte da história. E ainda bem que a bolinha vermelha sai. Sempre quis Ian, mas nunca achei a versão normal de Reparação. Parabéns pela resenha! Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Fomos os primeiros? O que aconteceu? "Sinais dos fins dos tempos" haha Brincadeiras a parte, gostei do que o livro aborda, aprecio livros que misturam história com ficção e bem trabalhando fica melhor ainda. Não conheço nenhuma obra do autor, o livro seria ótimo para começar.

    ResponderExcluir
  3. Fico com dúvida se vou gostar de um livro e corro pra cá ler a resenha. :P Rsrs.
    Acho que não devo ler esse livro por agora... Mas parece ser interessante. Principalmente por ter história, hehe.
    Parabéns pela resenha. ^^

    ResponderExcluir
  4. Dica anotada, eu adoro romances e esse é diferente, como você disse, outro nivel, e ainda não conheço o autor, seria uma boa. ^^

    ResponderExcluir
  5. Nunca tinha lido nadinha desse livro antes, mas eu adorei a resenha, parabéns
    A capa me chamou muito a atenção, por isso decidi ler a sua resenha, e gostei bastante, fiquei muito curiosa para ler esse livro.
    Bjs
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Gosto dessa capa e gosto muito de historias de espionagem e essas coisas, tenho curiosidade em ler o livro, mas não agora. Estou em outra fase, mais para romances melosinhos. Bjksss

    ResponderExcluir
  7. O livro parece ser interessante, e sua resenha está ótima. Mas uma palavra, amante, já me faz dar um passo atrás, porque isso pode mostrar uma personalidade não muito positiva, da personagem.
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Não me interessei muito, mas achei bizarro essa de lançarem antes aqui no Brasil. Tudo bem lançarem no mesmo dia, mas antes é muito esquisito. Só quero ler porque fala de fatos históricos e tal, e me interesso muuuito por história, acho incrivelmente fascinante.

    ResponderExcluir
  9. Estou querendo ler o livro, me interesso bastante por ele.
    Sua resenha está boa demais, parabéns.

    ResponderExcluir
  10. Nunca li nenhum livro do autor. Pra falar a verdade nunca tinha ouvido falar dele ou suas obras. Achei a história diferente, mas não é meu tipo de leitura. A capa me chamou atenção.

    PS: primeiro no Brasil?? rsrs'

    Bjs, Laila.

    ResponderExcluir
  11. Já tinha ouvido falar do autor, mas nunca li nada dele. Não sei, apesar de me interessar por esse período da história o livro não me chamou tanta atenção...
    Bem estranho ser lançado aqui primeiro, deve ter algum bom motivo pra isso!

    ResponderExcluir
  12. Também adoro história e o contexto desse livro parece bem bacana, histórias de epionagem e ação me chamam muito a atenção.
    Pena que a personagem desagradou...
    ainda não li nada do autor, mas fica a dica caso tenha possibilidade

    Abraços
    Gabi
    sonhosaventuras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Muito interessante esse livro!! Mesclando História e espionagem, parece ótimo. Realmente, esse autor é bem conceituado, mas nunca o li. Ah, essa capa é linda.

    abraços,
    Luciana

    ResponderExcluir
  14. Oi..

    Quando falam desse livro eu logo penso na Serena de Gosssip Girl, eu sei que uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas não consigo não pensar no nome do livro sem relacionar com a personagem de Gossip Girl.

    ResponderExcluir
  15. Londres?! Uma boa pedida, não que meu sonho seja ir até lá como sei que muitos tem, mas gosto de conhecer lugares com um livro ainda mais em outras décadas! Mas para ser sincera esse livro tem uma capa linda mas não me chamava tanta atenção, quando li Guerra Fria me interessei um pouco mais gosto de ver livros que narram parte de histórias reais, e pelo que vi não tem muito romance (ou espero que não tenha).

    ResponderExcluir
  16. Sou fã de histórias de espionagem e com essa capa bonita e cheia de classe, Serena me conquistou logo de cara. Não fiquei muito animada em saber que não é um daqueles livros de leitura rápida, mas mesmo assim vou conferir.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  17. O contexto da história me chama atenção, mas as características da personagem ja abaixam meu animo, detesto personagens tolinhas :/

    ResponderExcluir
  18. Ah, eu ainda não conheço nenhuma obra desse autor, mas ouvi vários comentários sobre esse livro Serena. Acho que o livro merece uma chance, fiquei curiosa para saber mais sobre a história (:

    ResponderExcluir
  19. Apesar de parecer interessante, penso que não vou lê-lo, apenas porque não estou procurando algo do tipo.

    ResponderExcluir
  20. A capa desse livro me faz lembrar de um determinado filme que não tem nada a ver com essa história. Talvez seja pela pose da garota, sei la´. Mas voltando para o livro, eu quero muito ler o livro só que ainda não tive oportunidade ($$) para isso. tão logo seja possível, eu o lerei.

    ResponderExcluir

Respeito é bom e eu gosto.
Não use palavras grosseiras, seja educado.
O blog é um lugar amigável, aja de acordo.