23/05/2012

Resenha - Winkie


Nome: Winkie
No Original: Winkie
Autor (a): Clifford Chase
Páginas: 280
Editora: Bertrand
Sinopse: Winkie é um surrado urso de pelúcia que misteriosamente ganha vida. Décadas após a última criança de uma família ficar velha para brincar com ele, o urso pula de sua prateleira e sai andando pela floresta perto da casa onde vivia. E numa noite aparentemente calma, uma equipe da Swat invade a cabana onde Winkie mora, coloca-o em custódia e o acusa de 9.678 crimes, incluindo terrorismo, traição à pátria e bruxaria. No julgamento, a promotoria tenta selar o destino do pequenino urso chamando para depor testemunhas dos julgamentos de Galileu, Sócrates, John Scopes, Oscar Wilde e das Bruxas de Salém.

Winkie é um livro que conheci antes de voltar a ler e por vários motivos ficou esquecido. Até que no início do blog o postei na coluna de dica e a vontade de lê-lo surgiu de novo. A primeira reação ao ler a sinopse é pensar em um livro absurdo, engraçado e até fofo. Como um ursinho de pelúcia pode ser acusado de tantos crimes? Seria Winkie uma sátira completa da nossa sociedade ou apenas uma história fofa e maluca? Clifford Chase conseguiu dar vida a um dos personagens mais sofridos que já conheci e misturar tudo isso com uma espécie de crítica à sociedade atual.

Winkie nasceu em Chicago na década de 20 em uma fábrica antiga de ursinhos e sua primeira criança foi Ruth, que a nomeou como Marie. Assim viveu até o dia em que Ruth ficou grande demais para andar pela casa conversando com ele. Ele não entendia como, mas sentia, desejava e ansiava por várias coisas. Por muito tempo desejou e foi feliz com Ruth, mas nada nunca aconteceu. Era sempre brincar, abrir os olhos quando estava sentado e fechar quando estava deitado. Horas sentado na cama de Ruth, imóvel, apenas desejando poder sair dali. Escutou muita coisa em todos os anos que esteve ao lado de uma criança. Primeiro foi Ruth e depois cada um dos seus cinco filhos até encerrar o ciclo de novas crianças com o filho mais novo de Ruth. Nesses anos todos Winkie deixou de desejar a vida, passou a contar as horas como tédios e não esperava mais nada. Até que de um tédio para outro sentiu os movimentos pela primeira vez, se libertou e fugiu. Um desejo após o outro e foi vivendo, morando na floresta.

Até o dia que um grupo de homens cercou a cabana e o baleou. Ele foi preso e acusado de várias coisas que nem sabia o que era ao certo. Winkie sentia simpatia por eles e não entendia o que acontecendo. Não teve argumentação. Ele foi levado para o hospital e tratado. Ninguém parecia se importar com o fato de ele ser um ursinho de pelúcia. Apenas Françoise teve a bondade de costurar Winkie. Do hospital para a sala de interrogatório, depois para a cadeia e enfim o julgamento. A partir dessa premissa e desses passos acompanhamos a história do ursinho acusado de terrorismo. Os absurdos do sistema judiciário e a cegueira diante do óbvio. Clifford Chase narra alternando o passado e o presente de Winkie. É impossível não simpatizar com o personagem e torcer por ele. A maior parte da história de Winkie é triste. Acompanhar a vida através da perspectiva de um ursinho foi mesmo muito triste. Aliás, pode soar maluquice mais foi impossível não pensar nos meus ursinhos de quando era criança que hoje estão todos guardados no mesmo lugar há anos.

A única coisa que poderia ter sido mais bem desenvolvido é o julgamento. Tinha muito mais história para desenvolver ali. O testemunho das personalidades famosas foi o cúmulo, um pouco engraçado, mas mesmo como sátira ficou irreal. A melhor parte fica por conta das testemunhas da defesa e a simplicidade do depoimento do próprio Winkie. A narração do urso é cheia de sentimentos. Através de figuras de linguagem o autor conseguiu ser crível ao transmitir as descobertas de Winkie. O propósito de ser uma crítica à caça ao terror e as loucuras que o sistema comete ao condenar tudo o que é diferente não funcionou muito bem. No meio da doçura, da tristeza e da esperança do pequeno Winkie só consegui pensar nele. Não consegui criar esse paralelo. Claro que em algumas partes fica claro que era essa a intenção do autor, principalmente no final de Winkie, que mostra e alude ao tema. Mas o que conquista mesmo é a visão dele de tudo, do mundo, das pessoas que o acusam e da vida que surge de subitamente.

Uma leitura muito agradável e uma história diferente, criativa e comovente. Ler Winkie foi muito bom e me fez lembrar coisas que há bastante tempo não lembrava. As fotos de Winkie em diversos momentos de sua longa vida deram o toque final a história. A edição da Bertrand está ótima, a diagramação e a capa do livro também são perfeitas. Gostei mais do tom da capa nacional do que a original. Winkie é o primeiro livro de ficção do autor e que surpreendente pelo ponto de vista. É uma mensagem boa para os que conseguem entrar de fato na vida do urso. Adoraria ver a história adaptada para o cinema. Funcionaria muito bem. Recomendado a todos que gostam de uma história engraçada, diferente e comovente. É imperdível para qualquer um que já teve um ursinho e sonharam que um dia ele ganharia vida. Romance e sátira em doses certas para qualquer leitor. Não deixem de conferir e se apaixonar por Winkie. Até mais!

27 comentários:

  1. É mesmo surpreendente uma história em que um ursinho de pelucia é acusado de um crime, curioso e até engraçado. Adorei ler sua resenha, quero saber mais da história.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se gostaria de ler o livro, pelo menos não no momento. Não estou em um momento de ler sátira, apesar de sempre ter gostado.

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar nesse livro... fiquei bastante curiosa, é uma história bastante inusitada! Nada urgente, mas ainda quero conferir essa história!! Muito boa sua resenha!

    ResponderExcluir
  4. Olá!!!

    Que estória de arrepiar! Dá até medo...
    Acho que eu não leria. @.@

    A estória pode ser ótima, mas eu ia acabar ficando com medo e pena do Winkie D:

    Beijos,

    Samantha Monteiro
    Word In My Bag

    http://wordinmybag.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Meldels, to em choque com essa história aí HAHAHAHa Concordo com quem disse que não gostaria de ler no momento haha

    ResponderExcluir
  6. Consegui esse livro na feirinha e fiquei super feliz por isso! Na época que a Bertrand lançou, fiquei bem curiosa para saber como seria a história narrada pela pelúcia! Adoro livros assim, ao mesmo tempo com críticas e tom sarcástico! :)

    Beijos!
    Lygia - Brincando com Livros

    ps: Gostei do fundo novo do blog...até combinou com a capa do livro, hahaha #comentárioAleatóri

    ResponderExcluir
  7. Ah eu vi você falando desse livro na coluna de dicas e fiquei com vontade de ler. Sua resenha confirma isso. Deu pena só de ler a resenha... Coitado do Winkie. Só a capa dá tristeza agora imagina ver o ursinho preso e solitário? Ainda tem fotos, bem legal a capa também. Ótima resenha. Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Noossa, muito diferente essa história.

    Intrigante e inusitada.

    Também não sei se leria, mas a resenha ficou ótima.

    Abraços
    Gabi

    ResponderExcluir
  9. Esse é um dos livros que eu gostaria de ler mas acho que me falta coragem...

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Nossa, que historia criativa. Parece ser bom mesmo.
    Já está na lista dos desejados :D

    Abraços, até mais !!

    ResponderExcluir
  12. Quase não falam desse livro. Li uma outra resenha e fiquei muuuuito curiosa, pois achei a minha cara.

    abraços

    ResponderExcluir
  13. Fiquei curiosa para ler esse livro, a premissa é muito interessante. Me lembrou os livros do Kafka em que os maiores absurdos são narrados com se fossem eventos normais.

    ResponderExcluir
  14. Eu sempre me interessei muito por esse livro, porque parece algo tão estranho e surreal, mas nunca cheguei mesmo a ter uma vontade incontrolável de lê-lo. Isso também por causa do preço, se não me engano. HAHA mas a história parece ser muito legal e sua resenha instigou novamente minha vontade de lê-lo.

    ResponderExcluir
  15. Cássia Oliveira29 de maio de 2012 02:27

    Fiquei com vontade de ler Winkie pelo estilo non-sense da história! Acho que deve ser uma leitura bem diferente e não clichê!

    ResponderExcluir
  16. Confesso que pela introdução do livro fiquei desanimado, porém lendo a resenha vou tira-la da gaveta.

    ResponderExcluir
  17. Isso é o que eu chamo de livro diferente, ein? Acho que gostaria de ler, mas não sei se entenderia bem a história.
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Gostei da resenha, mas achei a história meio confusa, sei lá...um ursinho? julgamento? testemunhos de famosos? Vou ter que ler mais sobre...hehe

    ResponderExcluir
  19. Oi..

    Gostei da sua resenha e também gostei muito desse livro e me chamou tanta a atenção que já estou a procura dele para ler.. Se eu não me engano existe um filme com uma história similar a essa.

    ResponderExcluir
  20. Eu gostei da capa do livro, mas quando vi a sinopse não me animei. A sua resenha está boa e descreve bem os pontos fracos e fortes, mas não tenho vontade de ler o livro, mesmo assim.

    Thais Vianna
    @dathais
    dathais@hotmail.com

    ResponderExcluir
  21. Capa bonitinha, mas não conhecia o livro, fiquei curiosa apesar de não fazer meu tipo e a resenha fala bem de tudo no livro, quem sabe um dia eu leio, ou então que vira filme já que o tema é bem atual. Bjo!

    ResponderExcluir
  22. Fiquei com vontade de conferir, diferente e quase nunca vi falar dele. Pareceu interessante pela resenha. Abraços!

    ResponderExcluir
  23. Já tinha visto o livro e até tive vontade de ler, mas acabou passando, resenha ótima e me lembrou que queria ler o livro. Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Esse livro me era totalmente desconhecido até ler sua resenha. Gostei muito da história e vou querer ler o livro. Já anotei na minha eterna lista de livros para ler.

    ResponderExcluir
  25. Muito interessante a resenha, adoro livros que tenham críticas sociais. Adorei a capa e a ideia das fotos também.

    ResponderExcluir
  26. Parecer ser um livro bem diferente e maluco. Vou ler com certeza!

    ResponderExcluir

Respeito é bom e eu gosto.
Não use palavras grosseiras, seja educado.
O blog é um lugar amigável, aja de acordo.